Ficha de Inventário

Retrato de D. Francisco de Moura Corte Real, 3º Marquês de Castelo Rodrigo

  • Museu: Museu Quinta das Cruzes
  • Nº de Inventário: MQC 2255
  • Super Categoria: Arte
  • Categoria: Pintura
  • Autor: DUCHATEL, François (Pintor)
  • Datação: 1664/1665
  • Suporte: Tela
  • Técnica: Óleo sobre tela
  • Dimensões (cm): Alt. 148 x Larg. 130 x Prof. 12,5
  • Descrição: Retrato de D. Francisco de Moura Corte Real, 3º Marquês de Castelo Rodrigo, de corpo voltado a ¾ para esquerda e cabeça em posição frontal. Em primeiro plano, a figura do Marquês em pose estática com a mão direita sobre a cintura, segurando um bastão de comando e a esquerda sobre a mesa. Apresenta-se vestido com armadura sobreposta por uma faixa vermelha brocada cruzada sobre o peito, destacando-se sob a faixa uma insígnia da Ordem de Cristo. No canto inferior direito, uma mesa coberta por tecido brocado em tons dourados, onde está colocado o elmo com pluma da armadura. Em plano de fundo, vê-se do lado direito uma paisagem esbatida. Inscrição no canto superior esquerdo: “D. Fran.co Moura/3º Marq. De Castelo/Rodrigo” e na extremidade superior direita o brasão com as armas da família do marquês.
  • Origem/Historial: Bélgica, Flandres. D. Francisco de Moura Corte Real, 3.º marquês de Castelo Rodrigo (Madrid, 1621-1675), filho de D. Manuel de Moura, 2.º marquês de Castelo Rodrigo, e de D. Leonor de Melo, neto de D. Cristóvão de Moura, foi embaixador de Espanha em Viena, ocupando também os cargos de vice-rei da Sardenha e governador dos Países Baixos espanhóis entre 1664-1668. De regresso a Madrid, ocupou sucessivamente a presidência dos Conselhos das Ordens e da Flandres. Em 1647 adquiriu "La Florida", um terreno nos arredores de Madrid e aí mandou construir a sua casa de campo, sendo ainda gentil-homem da câmara de Filipe IV, (FRANCO, 2000). É nesta residência que o 3.º marquês de Castelo Rodrigo viria a falecer a 23 de novembro de 1675; viúvo de D. Catarina de Moncada, com quem se havia casado em 1639 e que faleceu em Barcelona em 1651 O marquês deixou por herdeiras as suas duas filhas: D. Leonor, casada com D. Aniello de Gúzman Y Caraffa, conde de Lumiares; e D. Joana, princesa de São Gregório por matrimónio com D. Gilberto Pio de Saboia, conhecido como o Príncipe Pio. Após a morte de D. Francisco de Moura realizou-se o inventário e taxação de todos os seus bens. Dentre estes, assume particular interesse a sua coleção de obras de arte que se encontrava na casa de campo dos marqueses de Castelo Rodrigo, e na qual se incluíam 576 pinturas, que analisando os altos valores a que as obras foram taxadas, contaria certamente com representações de destacados artistas das escolas italiana, flamenga, espanhola e portuguesa. O inventário dos bens do marquês teve início a 25 de novembro de 1675, e a 4 de fevereiro de 1676, o pintor Francisco Ricci, pintor de câmara de Filipe IV e Carlos II, encarregou-se de avaliar a extraordinária coleção que agrupava temáticas tão diversas como "bodegones, floreros, paisajes, batallas, alegorias, escenas de género y religiosas, retratos, etc (...) Muy abundantes eran los retratos de la colección pictórica de Don Francisco de Moura, entre ellos muchos de él mismo y de su familia (...)" (MOYA, 1996, p. 306). A propriedade de "La Florida" em si foi herdada por D. Leonor de Moura, que ao morrer sem descendência a lega a sua irmã D. Joana, passando a ser conhecida pela designação atribuída ao genro de D. Francisco "Pincipe Pio". Em 1792, a casa e seus terrenos são adquiridos por Carlos IV, convertendo-se no denominado "Sìtio Real de La Florida", do qual hoje nada resta (FRANCO, 2000). Entre a morte do 3.º marquês e a venda da propriedade a Carlos IV, talvez quando D. Joana herda a propriedade da irmã, as obras de arte aí existentes, ou algumas delas, terão ido para a "Villa di Mombello" (Cernusco Merate, Lombardía-Itália), palácio da família Saboia, como o comprova o facto desta pintura de D. Francisco de Moura, ter sido fotografada e surgir no livro "La elección de Fernando IV, Rey de Romanos. Correspondencia del III marqués de Castel-Rodrigo, Don Francisco de Moura durante el tiempo de su embajada en Alemania (1648-1656)", escrito por Don Alfonso Falcó y de la Gándara, Príncipe Pío e último marquês de Castelo Rodrigo. Nesta obra, o próprio autor, localiza a pintura na sua biblioteca de "Mombello", à data da sua edição em 1929. Após o falecimento de D. Alfonso em 1957, e da sua viúva em 1999, Mombello é legada a um seu sobrinho que, não tendo meios para a manter a vendeu, com todo o seu recheio artístico (incluindo um referido retrato do 3.º marquês de Castelo Rodrigo atribuído à oficina de Velazquez), a um empresário italiano Giorgio Corbelli. Em 2001, o Estado italiano, após grande polémica, autorizou a venda de todo o espólio existente em Mombello, o que decorreu durante o mês de maio desse ano (informação cedida pelo investigador espanhol Luis Tercero). Existem diversas gravuras de D. Francisco de Moura (FRANCO, 2000. p. 44), e destas destaca-se, pela profunda semelhança com este retrato, uma pertencente às coleções da Österreichischen Nationalbibliothek (Aústria) [ver objeto associado] com a indicação "Franc. Du Chastel pinxit" (autor da pintura) e "Richard Collin sculpebat 1665". Estas duas informações coligidas dão-nos a indicação do autor da pintura e da data em que terá sido realizada, cerca de 1664, coincidindo com a data em que D. Francisco é nomeado Governador dos Países Baixos [ver bibliografia RODRIGUES]. Neste retrato de D. Francisco de Moura, onde a personagem surge já com o título de 3.º marquês de Castelo Rodrigo (posterior à data do falecimento do seu pai em 1652), o retratado é representado de armadura, segurando um bastão de comando, o que indicia a sua nomeação como governador dos Países Baixos espanhóis, que viviam nesta época o seu maior conflito. A indicação que surge no verso da tela ""6 Exa(?)mo. [...]/Principe Pio/ "III Marques de Castel/Rodrigo"/An. Lienzo" alude provavelmente ao local da sua proveniência, ou seja à casa de campo do marquês "La Florida". No Castelo de Beloeil, (Beloeil, província de Hainaut, Bélgica) encontra-se um retrato semelhante, datado de 1661, com a indicação do retratado ser Claude Lamoral de Ligne, terceiro Príncipe de Ligne, nobre, militar e diplomata belga ao serviço de Filipe IV e Carlos II da Espanha. Curiosamente o 3.º príncipe de Ligne, esteve juntamente com D. Francisco de Moura na Flandres, o 1.º como capitão general da cavalaria, entre 1649-1669.
  • Incorporação: Aquisição Governo Regional da Madeira / 2000

Bibliografia

  • "Bienal de Antiguidades". Lisboa: Manuel Castilho, 2000
  • FRANCO, Anísio - "Retrato de um Sonhador", in Arte Ibérica, nº 33. Lisboa: s.e., Março 2000
  • MOYA, José Luis Barrio - "Las coleciones de pintura y escultura de Don Francisco de Moura, tercer marques de Castel Rodrigo (1675)". In Boletim de la Real Academia de Bellas Artes de San Fernando. N. 82. Madrid: 1.º semestre de 1996
  • RODRIGUES, Ana Kol - "Retrato de D. Francisco de Moura 3.º marquês de Castelo Rodrigo", in Boletim MQC, nº 10. Funchal: Museu Quinta das Cruzes, 2014
  • RODRIGUES, Ana Kol - "Retrato de Dr. Francisco de Moura Corte Real", in Boletim do MQC, nº 10. Funchal: Museu QUinta das Cruzes, 2014
  • SOUSA, Francisco Clode de - "Retrato de D. Francisco de Moura Corte Real 3.º Marqueês de Castelo Rodrigo". In Obras de Referência dos Museus da Madeira [cat. de exposição].. Funchal: SREC/DRAC, 2008
  • SOUSA, Francisco Clode de - "Retrato de D. Francisco de Moura Corte Real 3.º Marquês de Castelo Rodrigo". In Obras de Referência dos Museus da Madeira [cat. de exposição].. Lisboa: IMC/DRAC, 2009
  • WEILLER, Raymond - Le Portrait dans l'Histoire du Pays de Luxembourg. vol. II. Luxembourg: Éditions Imprimerie Saint-Paul S.A., 1983

Exposições

  • Obras de Referência dos Museus da Madeira. 500 anos de História de um Arquipélago

    • Lisboa. Palácio Nacional da Ajuda. Galeria de Pintura do Rei D. Luís I.
    • 21/11/2009 a 6/4/2010
    • Exposição Física
  • Obras de Referência dos Museus da Madeira

    • Funchal. Museu de Arte Sacra do Funchal
    • 1/4/2008 a 31/12/2008
    • Exposição Física
  • "Obra Convidada". FRANÇOIS DUCHATEL, "Retrato de D. Francisco de Moura Corte-Real, 3º Marquês de Castelo Rodrigo"

    • Museu Nacional de Arte Antiga
    • 2/12/2016 a 19/3/2017
    • Exposição Física

Multimédia

  • 8584_1_13477.jpg

    Imagem
  • 3142_1_13485.JPG

    Imagem
  • 5189_1_13479.JPG

    Imagem
  • 6104_1_13481.JPG

    Imagem
  • 7308_1_13483.JPG

    Imagem
  • 11208_1_13484.JPG

    Imagem
  • 11642_1_13478.JPG

    Imagem
  • 11691_1_13480.JPG

    Imagem
  • 11692_1_13482.JPG

    Imagem